Primavera

Amanheci hoje com o desejo de adquirir uma planta nova para minha casa. É início de primavera, e geralmente não esqueço dessa data. Amo o verde e as flores. Elas me lembram alegria e movimento. Essa é uma estação privilegiada no ano. As plantas se renovam e se cobrem de cores, o chão se cobre de verde.
Na minha região, é a época em que termina a estação seca. Minha cidade é rica em áreas verdes, que agora estão ainda cinzentas, literalmente, porque há muitas queimadas nesta época. E grande parte de uma reserva ecológica foi, infelizmente, destruída pelo fogo. Mas sei que as primeiras chuvas, que estão próximas, cobrirão novamente de verde a cidade.
Ainda não comprei uma planta nova, devo fazê-lo agora à tarde, mas já molhei minhas plantinhas antigas e dei um passeio pela cidade, onde não vi flores nem verde na grama, mas reparei que as árvores já renovam suas folhas, sendo o primeiro sinal da primavera aqui.
Agora ao meio-dia,  revi uma reportagem sobre a chamada “rua mais bonita do mundo”, que fica em minha cidade natal, Porto Alegre. Tem essa denominação porque é uma rua verde. Olhando-se de cima, só se veem as copas das árvores, que se encontram. O verde é belo, creio que não há quem não admire a proximidade da natureza. A comunidade se uniu para conservar essa rua, lutando contra o projeto de uma construtora, que destruiria a beleza das árvores.
Sabemos que as plantas são necessárias ao homem porque renovam o oxigênio. Quando o mundo foi criado, após a separação da terra seca, e antes da criação dos animais e dos homens, Deus criou toda a vegetação. O Criador sabe aquilo de que necessitamos.
Por isso podemos ter certeza de que, enquanto estivermos neste mundo, embora o homem tenha destruído grande parte da vegetação, haverá o verde necessário para nós,  e temos a promessa de que a terra será renovada e então será primavera eterna.
Vamos portanto louvar o Criador e celebrar a chegada de mais esta primavera.

“E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.”Gênesis 1:12


Anúncios

Concerto em frente à minha casa

Ontem à noite tive a incomparável oportunidade de assistir a um concerto em frente à minha casa. Na realidade, moro atualmente num prédio em frente ao estádio localizado na cidade, e foi no estacionamento desse estádio que se apresentou, num palco montado num caminhão, o pianista Arthur Moreira Lima.
Apresentou música erudita, desde Johann Sebastian Bach até compositores brasileiros do século XX, Arthur Villa-Lobos e Radamés Gnatalli, passando por Chopin e Beethoven (“Sonata ao luar”).

Foi na Sonata opus 27 nº 2, denominada Sonata ao luar que pudemos apreciar a sensibilidade e técnica do concertista. No primeiro movimento, mostrou romântica meditação, passando a uma atitude clássica no segundo movimento e à virtuosidade e arrojo do terceiro. Nos meus tempos de estudante de piano, cheguei a estudar essa sonata e assim foi a peça que mais apreciei no concerto.
Moreira Lima também explica o que está apresentando e falou da ligação de Chopin com a Polônia, mostrando o paralelo existente na ligação de Villa-Lobos com nossa música regionalista e do maestro Radamés Gnatalli com a música popular brasileira, para a qual criou arranjos eruditos. Também foi um arranjo erudito de Asa Branca, de Gonzaga, que o concertista Moreira Lima apresentou.
Encontrei uma aluna iniciante de piano no evento, e ela viajou mais de trinta quilômetros para assisti-lo, o que mostra o interesse dessa jovem, bem como da irmã dela, também aluna da escola de música de nossa igreja, na música erudita.
Como sabem, moro num bairro, ou região administrativa, como se diz aqui, distante 40 quilômetros do centro da cidade. A música é um dom de Deus e a boa música, como é a música erudita, pode e deve ser apreciada por todos.
É uma iniciativa digna de aplauso esse projeto de Arthur Moreira Lima que oferta música às cidades distantes das salas de concertos, colocando “Um piano na estrada”.