Sonhando com um manual

Esta história é mesmo sobre um sonho.
Estava na casa do meu filho e, durante a noite de ontem, tive um sonho interessante. Eu me encontrava no meu antigo serviço (do qual me aposentei há mais de 10 anos) e devia redigir um capítulo de manual (tarefa que eu realmente costumava executar). Ocorre que havia duas versões para o início do capítulo, uma era sugerida por um assessor da presidência – só que no meu sonho ele era um antigo diretor da escola de meu neto. A outra versão era sugerida por um assessor de organização e métodos – que no sonho era um professor meu colega. Eu tinha que ir à sala dos dois e decidir que estilo usar na redação.
Recordo até que a versão sugerida pelo assessor da presidência era uma espécie de justificativa e a do homem de organização e métodos simplesmente citava os procedimentos. Eu havia optado pela segunda versão, porque era a fórmula usual. A justificativa só ficaria bem numa exposição de motivos. Mas no sonho apenas fui aos dois gabinetes e não cheguei a resolver nada com os dois assessores.
Ainda sobre sonhos, até há pouco tempo  atrás, mais de 30 anos depois de terminar meu curso de música, ainda sonhava que precisava concluí-lo. É que tive de interromper o curso quando assumi um cargo num banco público e não podia assistir às aulas, que aconteciam no período diurno. Após um ano, a chefia permitiu que eu assistisse algumas aulas, e assim graduei-me também em piano.
Muito maravilhoso o funcionamento do cérebro humano. Dados de uma atividade desenvolvida há mais de dez anos apareceram associados a pessoas que conheço de um passado mais recente e tudo isso deve ter sido ativado por alguma vivência atual.
Isso me lembra duas coisas:  como é importante aquilo que vemos,  ouvimos e fazemos, já que nosso cérebro pode armazenar por tanto tempo tudo isso; como é importante o que oferecemos aos olhos e ouvidos das crianças e jovens. Isso irá alimentar a atividade do cérebro delas por muito tempo nas suas vidas, provavelmente por toda a existência delas.
Enfim, como dizia o salmista: “Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste.”  “(…) de longe conheces todos os meus pensamentos.” “Vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” (Sal. 139)

Natal

Um registro especial para o Natal. Tivemos duas festas. Uma antes de sair em viagem e outra (surpresa) em Porto Alegre, na casa de minha mãe quando chegamos lá. Natal é tempo de surpreender. De amar. Que esse tempo se eternize no ano novo

Férias e visitas

É bom esse momento no ano em que saímos um pouco da rotina, visitamos os amigos e
familiares de longe. Somos abençoados com familiares e amigos em várias cidades. Este ano fomos para o sul. Ainda não visitamos os familiares do Nordeste. Esperamos que chegue logo a oportunidade.
Mas estivemos em Anápolis, Porto Alegre, Cidreira, Santo Ângelo, Rio Grande e Socorro revendo familiares e amigos. Foram férias muito alegres e que deixaram lembranças agradáveis.
 
 
 

Novidades

Sempre há uma novidade no lar, doce lar. Uma das mais recentes são as ovelhinhas do rebanho.

Lema

Leve sempre uma canção alegre na vida.
 E tente espalhar essa canção.